Monthly Archives: January 2009

São muitas figuras que se espelham em minhas pupilas. São figuras e formas, e cores e sonhos. É o louco, artista, que na rua pinta o chão. É a ponte, é a ponte, é o ponto. É o cozinheiro mais sujo, e

São muitas figuras que se espelham em minhas pupilas. São figuras e formas, e cores e sonhos. É o louco, artista, que na rua pinta o chão. É a ponte, é a ponte, é o ponto. É o cozinheiro mais sujo, e

Meu Querer

Eu quis ouvir meu nome, Mas eu já não ouvia nada; Eu quis ver minhas cores, E eu já não via nada; Eu quis dizer adeus, Mas minha voz era falha, Minha canção era muda, Meu coração batia; Batia, ba,

Meu Querer

Eu quis ouvir meu nome, Mas eu já não ouvia nada; Eu quis ver minhas cores, E eu já não via nada; Eu quis dizer adeus, Mas minha voz era falha, Minha canção era muda, Meu coração batia; Batia, ba,

Passava rapidamente as páginas da minha agenda… Num segundo eu fazia as primeiras leituras da universidade, e logo depois estávamos no Rio, na Bahia, e em Budapeste novamente; Novamente eu chorava na praça dos heróis. Mas uma ano começa: abro

Passava rapidamente as páginas da minha agenda… Num segundo eu fazia as primeiras leituras da universidade, e logo depois estávamos no Rio, na Bahia, e em Budapeste novamente; Novamente eu chorava na praça dos heróis. Mas uma ano começa: abro